segunda-feira, 22 de março de 2010

SÃO CARLOS APRESENTA O 1º PARQUE TECNOLÓGICO DE 3ª GERAÇÃO DO BRASIL

Eu e José Octavio Armani Paschoal (dir.), presidente do Instituto Inova, gestor do novo Parque Tecnológico de São Carlos

O Brasil ganhou hoje seu parque tecnológico mais diferenciado. Estive presente ao lançamento oficial do Parque Eco Tecnológico Damha, em São Carlos, o primeiro do país no gênero 3ª geração. Tenho a honra de ter contribuído com esse processo durante minha gestão à frente da prefeitura de São Carlos (2001/2008). O projeto pioneiro agrega os mais modernos conceitos de sustentabilidade unindo espaço de lazer, esportes e moradia a um complexo empresarial e de negócios, com foco em novas tecnologias e inovação, proporcionando melhor qualidade de vida.O Parque Eco-Tecnológico Damha São Carlos veio criar, ampliar e aprimorar oportunidades de investimento e negócios envolvendo novas tecnologias, estimulando a sinergia entre universidades, institutos de pesquisa e empresas no município.

O empreendimento traz muitos diferenciais em relação aos demais Parques Tecnológicos existentes, principalmente por incorporar o conceito de sustentabilidade às edificações industriais, de modo a minimizar os impactos e colaborar com a preservação do meio ambiente no qual ele está inserido. O Parque Eco-Tecnológico São Carlos vai priorizar empresas que fazem uso do desenvolvimento de pesquisas, de apoio, de serviços e produção, que se enquadrem nas seguintes categorias: sem risco ambiental, ou com risco ambiental leve, de baixo grau de nocividade e médio grau de incomodidade. Também poderão se instalar no local empresas voltadas a transformar conhecimento em desenvolvimento, em especial aquelas ligadas à criação de tecnologias da informação, da comunicação, formas e processamento de energia, biotecnologia, eletrônica, instrumentação, serviços, meio ambiente e agronegócios, entre outros.

O envolvimento direto de grupos de pesquisa da USP São Carlos, da UFSCar, da Unesp Araraquara e das unidades da Embrapa em São Carlos (Pecuária Sudeste e Instrumentação Agropecuária) em torno do projeto, é outro diferencial do Parque Eco Tecnológico de São Carlos, que conta também com apoio do Sebrae, entre outros parceiros.

Pra nosso orgulho, São Carlos é a única cidade paulista a possuir dois parques tecnológicos!

domingo, 21 de março de 2010

MINISTRA NILCÉA FREIRE, UMA AMIGA QUE RETORNA A SÃO CARLOS

Ministra Nilcéa (esq.) e eu (dir.) na última sexta, em São Carlos

Prestigiei na última sexta-feira (19) a visita a São Carlos de Nilcéa Freire, ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM) da Presidência da República. Nilcéa lançou na cidade o projeto “Mulheres de São Carlos Construindo Autonomia”, que visa promover a inclusão social e a autonomia das mulheres em situação de vulnerabilidade sócio-econômica. O evento faz parte das comemorações do mês da mulher.

Nilcéa tem atuado desde o início de 2004 com afinco no estabelecimento de políticas públicas que contribuem para a melhoria da vida de todas as brasileiras e que reafirmam o compromisso do Governo Federal com as mulheres do país.

A ministra Nilcéa disse também que a política implementada no Governo Lula tem conseguido diminuir a dependência das mulheres para com os homens. Segundo ela, o projeto lançado anteontem em São Carlos é um exemplo disso, possibilitando que mulheres consigam sua independência financeira e, o mais importante, em muitos casos as livra da violência de seus companheiros.

Da minha parte quero agradecer às várias menções que recebi de autoridades presentes ao evento por ter iniciado durante minha gestão à frente da prefeitura de São Carlos (2001/2008) diversas ações de políticas públicas voltadas para a mulher, como a criação da Casa Abrigo há nove anos e que já acolheu mais de 200 mulheres em situação de risco, segundo dados da atual secretária municipal de Cidadania e Assistência Social, Rose Mendes.

Faço questão de destacar a amizade que tenho com a ministra desde o início da década de 90, quando eu e a Nilcéa estávamos na direção de duas das mais importantes universidades públicas do Brasil. Enquanto ela era reitora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) eu era reitor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

sexta-feira, 19 de março de 2010

UMA GRANDE PERDA PARA O CONGRESSO

Zé Eduardo

A decisão do deputado José Eduardo Cardozo (PT-SP) de não concorrer a mais um mandato à Câmara dos Deputados representa uma perda insubstituível para o parlamento brasileiro. Reserva moral entre os homens públicos do país e dotado de talento político inquestionável, Zé Eduardo notabiliza-se pela defesa intransigente da democracia e dos direitos humanos, e pelo seu irrenunciável compromisso com a ética. Foi ele quem, quando vereador em São Paulo, presidiu a CPI da “Máfia das Propinas”. Foi também ele quem empunhou e desfraldou a bandeira vitoriosa da construção do Código de Ética do Partido dos Trabalhadores, aprovado pelo Diretório Nacional em 2009.

O deputado Zé Eduardo, além de tudo, é amigo de São Carlos. Foi ele quem, com suas emendas (R$ 2 milhões), me ajudou a construir a primeira piscina pública da Cidade Aracy, a asfaltar a marginal na altura do Parque da Chaminé e a iniciar a obra do Núcleo de Atendimento Integrado (NAI) no nosso Complexo de Segurança. Foi ele, ainda, quem destinou outros R$ 500 mil para que o prefeito Barba concluísse estas instalações.

Considerado um dos 100 parlamentares mais influentes, Zé Eduardo vai fazer muita falta ao Congresso Nacional. Com seu afastamento, perdem todos aqueles que lutam pela dignidade no poder legislativo brasileiro.

UMA JUSTA HOMENAGEM

Por louvável iniciativa da vereadora Laíde Simões, uma bela praça na região do Novo Horizonte ganhou o nome de José Henrique Andrade Machado. Inaugurada pelo prefeito Oswaldo Barba no último dia 13 de março, ela foi a primeira da cidade revestida exclusivamente com materiais produzidos pela nossa Prohab a partir de resíduos de construção civil. Não poderia haver homenagem póstuma melhor a essa formidável pessoa do bem que, juntamente com Amaro Jr, impulsionou a alta costura sãocarlense e promoveu as artes como curador de exposições e eventos beneficientes. Compareci ao evento ao lado de minha esposa Ana.

domingo, 14 de março de 2010

MAGISTÉRIO PAULISTA HUMILHADO


Os 16 anos de PSDB no governo do Estado guardam profunda similitude e vínculo com os oito desastrados anos de FHC à frente dos destinos da nação. O pano de fundo dessa retrógrada obra é ideológica: a paixão pelo neoliberalismo. Por conta do ideário do Estado mínimo e do mercado máximo, imposto pelo imperialismo americano e sumarizado no Consenso de Washington, os tucanos promoveram a privatização de empresas estatais estratégicas com financiamento público, a estagnação da economia, o desequilíbrio fiscal, o extermínio de postos de trabalho, o desmonte do serviço público e o descaso com as políticas sociais.

A exemplo do Brasil até 2002, São Paulo andou para trás. Dentre as várias marchas a ré experimentadas pela “locomotiva da nação” nesse triste e longo ciclo do tucanato, certamente o mais perverso e danoso é o que foi feito com a educação e toda uma geração de jovens.

Não é necessário desenvolver nenhum raciocínio mais elaborado para provar essa afirmação. Os resultados dos exames de avaliação do desempenho escolar das crianças e jovens paulistas, o elevado índice de reprovação dos docentes temporários (que respondem por 40% da rede) e o fato de que 13% dos adolescentes que concluem o ensino fundamental são analfabetos funcionais, escancaram a falência do ensino público oferecido pelos tucanos aos nossos filhos.

E a culpa, segundo o ex e atual secretário de educação do governo Serra, Paulo Renato Souza, é do despreparo dos professores e não da política educacional do PSDB. É lamentável ver homens públicos empurrarem para suas vítimas a responsabilidade por suas fracassadas ações. Seria mais decente reconhecer os equívocos cometidos por ele, como Ministro da Educação de FHC e um dos principais formuladores tucanos da área, a saber: a) proliferação indiscriminada, conforme receita do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), de faculdades privadas de licenciatura; b) rebaixamento salarial progressivo da categoria; c) escassez de programas de avaliação e educação continuada aos nossos mestres; d) precarização do trabalho com congelamento dos concursos públicos; e) promoção automática dos alunos; f) insuficiência de bibliotecas, laboratórios, computadores e multimídia; g) substituição de aumentos reais para todos por concessão de bônus para uma fração do corpo docente; dentre outros.

Por tudo isso, os professores da rede estadual estão mais uma vez em greve, “pela dignidade do magistério e pela qualidade da educação”. E na tarde da última sexta-feira (12) fizeram uma passeata com cerca de 40 mil pessoas na avenida Paulista para chamar a atenção dos pais dos alunos e da sociedade em geral sobre a precariedade das condições de trabalho e da educação paulista. Segundo a APEOESP, “Este governo gasta milhões em propagandas no rádio e na TV para apresentar mentiras à população. Onde estão as escolas com dois professores? Onde estão os laboratórios de informática abertos nos finais de semana com monitores? Temos que dar uma resposta à altura, chamando os pais de alunos para conhecer nossas escolas, para que possam comparar com a ‘escola de mentirinha’ que Serra mostra na televisão”.

Cabe ao governador Serra fazer mea culpa de todos os erros que vêm sendo progressivamente cometidos contra a educação no estado de São Paulo e abrir diálogo franco com os mestres para superação urgente dessa triste realidade, sob pena de mais e mais crianças e jovens serem vítimas do estelionato educacional do PSDB.

sexta-feira, 12 de março de 2010

MINHA ADMIRAÇÃO AOS BIBLIOTECÁRIOS


Estive na tarde de hoje na UFSCar, onde o "Dia do Bibliotecário" foi comemorado num evento marcado pela temática das produções sobre um dos maiores sociólogos brasileiros - Florestan Fernandes (imagem à minha direita no quadro da foto acima), cujo acervo encontra-se integralmente desde 1995 na Biblioteca Comunitária (BCo) da universidade.

Tive dupla alegria ao participar do evento, pois pude rever velhos amigos e relembrar de momentos importantes da história da UFSCar, como quando tive a honra de inaugurar há 15 anos, à época como reitor, a biblioteca (a maior da região central do estado) e o teatro universitário Florestan Fernandes. A atividade de hoje integra também as comemorações dos 40 anos da UFSCar.

Aproveito para informar que toda a obra do sociólogo, a partir de hoje (12 de março), está disponível para acesso online, através da página eletrônica da BCo/UFSCar, no endereço www.bco.ufscar.br/bco/index.html

E, claro, não poderia deixar de congratular a todos os profissionais da área de Bibliotecomia e Ciência da Informação. Vocês são essenciais na construção de um país com qualidade na Educação e Cultura.

terça-feira, 9 de março de 2010

NAI E FUNDAÇÃO CASA (COM A PALAVRA, O PADRE AGNALDO)

Reproduzo abaixo o artigo do padre Agnaldo, com sua devida autorização, onde ele analisa e comenta os fatos envolvendo o NAI e a Fundação Casa, ocorridos no último dia 3 de março, em São Carlos. Boa leitura a todos!

NAI E FUNDAÇÃO CASA: A RETIRADA DA UNIDADE DE INTERNAÇÃO PROVISÓRIA

Pe. Agnaldo Soares Lima

Quando no ano 2000 São Carlos deu início ao processo de criação e instalação do Núcleo de Atendimento Integrado (NAI) na cidade – experiência pioneira e que se tornou referência no trato com o adolescente autor de ato infracional – tivemos como parceiro importante e privilegiado o Estado, através da Fundação Casa, na época ainda chamada de FEBEM (Fundação Estadual do Bem-Estar do Menor).

Foi um ano de inúmeras reuniões, visitas, entendimentos para que o então Secretário Estadual da Assistência Social e o Presidente da FEBEM inaugurassem solenemente o novo programa no dia 8 de dezembro de 2000, juntamente com as autoridades locais.

Passados nove anos e não obstante os significativos resultados, o que assistimos é um movimento contrário: com pouco ou nenhum diálogo, o Estado e a Fundação Casa (Fundação Centro de Atendimento Sócio-Educativo ao Adolescente) se retiram da parceria com sua atividade mais significativa dentro do programa, que era a Unidade de Internação Provisória (UIP).

Por aquilo que me coube como participação na construção deste projeto – ao lado do Dr. João Baptista Galhardo Jr., então juiz da Infância e Juventude de São Carlos – e como cidadão do nosso Brasil, uno-me ao sofrimento das autoridades públicas e aquele de toda a nossa comunidade sãocarlense, em especial dos nossos adolescentes, por mais esta atitude tempestiva do governo do Estado de São Paulo.

Tomo, neste momento, a liberdade de compartilhar a reflexão que faço diante de tal situação:

1) Lamento profundamente a atitude do Governo Paulista não por terem saído do NAI, o que na prática já havia feito desde três ou quatro anos para cá, quando definitivamente deixaram claro que não comungavam dos mesmos princípios e da mesma filosofia que sempre moveu este projeto, de tratar com dignidade e respeito os adolescentes em conflito com a lei. Os que estavam mais próximos sabiam que a truculência física e moral adotada como método pelo até então diretor da Unidade de Atendimento Inicial (UAI) e da UIP feriam e manchavam a marca registrada deste programa e que sempre o distinguiu no trabalho ali realizado.

2) Na verdade, lamento a saída do Estado de dentro do NAI, porque sela definitivamente o descompromisso do atual governo com qualquer proposta que venha propiciar recuperação digna para adolescentes em cumprimento de medidas sócio-educativas no Estado de São Paulo. Insiste em um falido modelo prisional e se distancia cada vez mais daquele proposto pelo Sistema Nacional de Atendimento Sócio-Educativo (Sinase). Vale destacar que não simplesmente declarou publicamente o seu afastamento de um programa executado no município de São Carlos, mas abandonou mais uma vez princípios legais previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), visto que o NAI está preconizado no Artigo 88, V do ECA, bem como no Sinase.

3) Fico feliz, porque o referido Governo do Estado não precisará mais sustentar que integrava o NAI pelo fato de que injetava ali recursos financeiros, fazendo-o, porém, sem valorizá-los, uma vez que deixava para trás o que era mais importante: uma efetiva ação em rede, articulada e integrada, que é o primeiro elemento constitutivo do trabalho ali realizado. Exatamente por isto leva o nome de Núcleo de Atendimento Integrado.

4) Não perdemos um Programa exitoso em nível de Brasil. Perdemos apenas um parceiro, que tendo sido de fundamental importância na implantação e nos primórdios do NAI – como disse, solenizando inclusive sua inauguração com a participação do Secretário de Estado da Assistência Social e do Presidente da FEBEM – sai agora pelas portas do fundo e na calada da manhã, talvez por ter consciência do ato vergonhoso que pratica. É importante que se deixe claro, porém, que perdemos este parceiro e não o programa do NAI. Este é infinitamente maior do que o serviço de internação provisória pelo qual o Estado era ali responsável.

5) Não ficou só a UAI, também esta de responsabilidade da área de segurança pública do Estado. Permanecem ali os principais serviços que marcam este programa: a acolhida no momento da apreensão do adolescente; a integração com as polícias civil e militar (mesmo que não atuem no interno físico do prédio, mas que conduzem até ali os adolescentes); o serviço social que recebe o adolescente e sua família e que permite olharmos para a pessoa do jovem ali conduzido e não apenas para o ato infracional por ele praticado; permanece a possibilidade do serviço de saúde e de psicologia, que funcionando bem estruturado tem relevante papel para a orientação do adolescente ali conduzido; permanece a integração com o Ministério Público e o Poder Judiciário que podem continuar a se valer dos relatórios ali produzidos pelo serviço social e de psicologia para que se possa cumprir devidamente a aplicação da medida sócio-educativa adequada; permanece o serviço de encaminhamento para os programas da rede no que tange às ações dos Salesianos com as Medidas de Prestação de Serviço à Comunidade e de Liberdade Assistida, do Conselho Tutelar, do Centro de Atendimento Psicossocial – Álcool e Drogas (CAPS a/d), da Educação, das Entidades e Centros Comunitários, do Centro da Juventude, da Assistência Social, da Guarda Civil Municipal com seu importante suporte na recepção dos adolescentes; do Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedeca) que aos poucos vai se estruturando para garantir a ampla defesa.

6) Há sempre que se lembrar que o serviço da UIP acolhia 10%, ou menos até, dos adolescentes que passavam pelo NAI, visto que atendia somente os casos mais graves. Os demais serviços que permanecem é que respondem por 90% dos atendimentos e realizam a verdadeira ação preventiva dentro deste serviço. Se São Carlos demonstrou a nível nacional ter o menor índice de vulnerabilidade à violência dos seus adolescentes, não é com certeza porque tínhamos a internação provisória dentro do NAI, mas sim pela ação preventiva e rápida que fez com que a grande maioria dos adolescentes que por ali passaram nestes anos não tenha continuado sua trajetória no crime.

7) A demagogia não venceu a ideologia! Apenas se afastou! Deixa-nos o espaço e a responsabilidade para qualificarmos mais e melhor todos os serviços que ali devem continuar, se renovar e ampliar para ocupar o novo espaço do NAI que está sendo construído. Sirva-nos este momento para uma retomada mais forte de consciência da responsabilidade que nos cabe e para que se acelerem as revisões e acertos que se fazem necessários para que a ação em rede se qualifique com o funcionamento da Rede de Atenção à Criança e ao Adolescente (Recriad) e com a otimização de todos os demais serviços.

8) Tenho certeza de que dias melhores virão. Só precisamos seguir em frente e persistir em nossas convicções e lutas.

"A VERDADE É FILHA DO TEMPO, NÃO DA AUTORIDADE”. (Francis Bacon)

Que Dom Bosco, que já no seu tempo enfrentou e lutou para salvar os jovens das prisões de Turim, e que dá o seu nome ao novo NAI em construção, continue a nos orientar e animar.


* Pe. Agnaldo Soares Lima (Brasília, 3 de março de 2010 -Encontro Nacional de Diretores Salesianos)

segunda-feira, 8 de março de 2010

APLAUSOS PARA AS MULHERES

Eu durante a caminhada do Dia Lilás (último sábado), realizado pelo segundo ano consecutivo em São Carlos para comemorar o Dia Internacional da Mulher


Comemoramos hoje (8/3) o centenário do Dia Internacional da Mulher. Permitam-me saudar essas guerreiras em nome da minha querida mãe Marizete que, lá do céu, vive torcendo por mim. Ela foi a grande líder da nossa família e, sempre disposta a ajudar aos outros, nos ensinou o caminho da solidariedade humana.

APLAUSOS PARA O TSE

Quem luta pela ética na política tem que aplaudir as medidas adotadas pelo Tribunal Superior Eleitoral para as próximas eleições, que darão mais transparência a partir do pleito deste ano. Cito algumas que ganharam destaque na imprensa na semana passada: divulgação dos “fichas sujas”, fim das doações ocultas e unificação do prazo de prestação de contas.

QUE VERGONHA, GOVERNADOR!

Responda-me, caro leitor: o que pode levar um governador a não inaugurar uma obra de R$ 4,3 milhões? A) arrependimento pela insensatez da obra realizada?, B) desconforto pela forma autoritária com que ela foi imposta a uma comunidade?, C) penitência pelo gasto desnecessário do dinheiro público? ou D) tática eleitoral de um pré-candidato a presidente que sabe que sua obra é impopular por ser ineficaz, desnecessária e desrespeitosa com toda uma cidade? Considerando a personalidade do governador José Serra, acertaram os leitores que apontaram a alternativa D.

Serra amarelou e não veio a São Carlos inaugurar a Unidade de Internação da Fundação Casa (antiga Febem) que ele dizia ser uma obra importantíssima. Mais do que isso: para evitar o constrangimento e a perda de votos para si e para a delegação parlamentar que o acompanha na região – deputados Lobbe Neto e Massafera (ambos do PSDB) -, determinou que as atividades da ex-Febem fossem iniciadas na surdina na última quarta-feira (3/3).

Que coisa triste e feia, governador!

Meses atrás, o Fórum Nacional de Segurança Pública, a partir de metodologia desenvolvida pela UERJ e com dados de 2006, distinguiu São Carlos como a cidade de menor vulnerabilidade juvenil do país. Como já escrevi nesta coluna, esse foi o maior reconhecimento que recebi em toda a minha vida pública. Concorreram para tanto, dentro vários programas e ações que compuseram nossa política de proteção e promoção da juventude, o apoio incondicional da nossa prefeitura ao Núcleo de Atendimento Integrado (NAI) e ao conjunto das medidas sócio-educativas preconizadas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Pois bem, afirmo categoricamente que o governador Serra vem desconstruindo dia-a-dia essa política social e a história vai julgá-lo como o exterminador das ações que transformaram São Carlos em referência nacional nessa área. De quebra, como acontece nas cidades que têm o fracassado modelo “Febem”, o governador também será responsabilizado pelo piora dos indicadores de segurança pública do município.

E a propósito: quando o Serra vai anunciar a instalação da Fatec São Carlos, como prometeu na sua campanha a governador em 2006? E como perguntar não ofende, quando o deputado Lobbe Neto vai se posicionar sobre a vinda da Febem e a não vinda da Fatec? A população tem o direito de saber, finalmente, o que ele pensa sobre estes assuntos.

quarta-feira, 3 de março de 2010

FUNDAÇÃO CASA: ATIVIDADES COMEÇAM NA SURDINA EM SÃO CARLOS


Responsabilizo o governador José Serra (PSDB) pelo extermínio do projeto de ressocialização de jovens em conflito com a lei em São Carlos. O nosso projeto, construído a partir de 2001 e que ganhou reconhecimento nacional, sendo referência na área em todo o país, tem seu dia de chumbo na data de hoje (3/3). Lamento profundamente o início das atividades da unidade da Fundação Casa (antiga Febem) em São Carlos, imposta goela abaixo da sociedade sãocarlense pelo governo estadual.

É importante dizer que o NAI (Núcleo de Atendimento Integrado) foi devidamente esvaziado (mudança) nesta madrugada, sem alarde. Este é o tipo de obra/projeto que o PSDB não inaugura. Nossa cidade dormiu ontem com o NAI, nosso programa modelo para recuperação dos nossos jovens, e acordou com a realidade da Fundação Casa, que os tucanos nos impuseram à revelia.

Lamentável!

segunda-feira, 1 de março de 2010

MUITOS AMIGOS NUMA GRANDE FESTA

Em primeiro lugar eu gostaria de agradecer a Deus por completar mais um aniversário (o quinquagésimo sétimo) e poder reunir novamente mais de 1.500 pessoas entre familiares e amigos queridos numa grande festa em São Carlos no último sábado (27/02). Em segundo lugar, agradeço de coração a todos os companheiros que estiveram envolvidos na organização desta grande confraternização, realizada em conjunto com meu grande amigo, o prefeito Oswaldo Barba, que chegou aos 6.0... Na verdade, o Barba faz aniversário no dia 27 e eu no dia 28 e assim temos feito, sempre juntos nos últimos anos, a nossa festa. Desde já agradeço a todos os que lá compareceram no Clube da Hece Máquinas (gentilmente cedido novamente pelo amigo Valderlei Sverzut) e também aos que não puderam estar por lá, mas que me ligaram ou enviaram recados de felicitações. Um grande abraço a todos!


Cerca de 1.500 pessoas prestigiaram a grande festa

Ana (esq.) e Cidinha (dir.) observam eu e o Barba soprando as velinhas

Com o Mazzinho (prefeito de Itápolis)


Com amigos: Barba, Edinho Silva (presidente do PT-SP) e Olavo Noleto, outro aniversariante do dia e secretário-executivo da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República

Com o vereador Sérgio Desiderá, amigo que representou o prefeito de Rio Claro, Dú Altimari, e a vice Olga Salomão

Com o companheiro Dr. Nélson, prefeito de Serrana

O jovem e competente prefeito de Amparo, Paulo Miotta

Com o prefeito de Américo Brasiliense, Ademir Gouvêa

Um amigo que veio de longe, Humberto Parini, prefeito de Jales

Com Válter Figueiredo, prefeito de Nova Europa

Com o "vizinho" Paulo Veiga, prefeito de Ribeirão Bonito

Com o jovem prefeito Juninho, de Dobrada

Com Angelo Perugini, prefeito de Hortolândia

Mais um amigo e "vizinho", o prefeito Panone (Descalvado)


Aqui com Adauto Scardoelli, companheiro prefeito de Matão


Dr. Omar de Oliveira Leite, nosso prefeito de Itirapina

Lineu Navarro (com a filhota) - nosso presidente da Câmara Municipal, Cidinha (primeira dama de São Carlos), Josi Panone (primeira dama de Descalvado), Ana Perugini (deputada estadual), Barba, Ana e eu

Com meu irmão, o prefeito da nossa querida São Carlos, Oswaldo Barba, com quem dividi a festa

MIL NOVAS CASAS EM SÃO CARLOS


Mais uma vez o nosso prefeito Oswaldo Barba mostrou sua competência. Na última sexta-feira (26/02), a prefeitura e a Caixa Econômica Federal assinaram os contratos para construção de mais 1.000 novas casas em São Carlos, totalizando R$ 42 milhões. Graças ao empenho do Barba, o número de moradias do programa “Minha Casa, Minha Vida”, do Governo Lula, foi praticamente o dobro do que estava previsto no projeto original. As casas serão construídas no Jardim Gramado, entre a região do Jardim Botafogo e Antenor Garcia, e vão beneficiar famílias com renda entre 0 e 3 salários mínimos.