segunda-feira, 31 de maio de 2010

EPTV CENTRAL TRAZ SINAL DA TV DIGITAL PARA SÃO CARLOS E ARARAQUARA

Com Antonio Coutinho Nogueira (grupo EPTV), hoje, no lançamento do sinal da TV digital em São Carlos

Com Paulo Brasileiro, gerente regional da EPTV Central (TV Globo São Carlos)

Com a presença dos prefeitos Oswaldo Barba (São Carlos) e Marcelo Barbieri (Araraquara), além dos proprietários do grupo EPTV, José Bonifácio Coutinho Nogueira Junior e Antonio Coutinho Nogueira, foi inaugurada nesta segunda-feira (31), às 12h30, a transmissão para São Carlos e Araraquara do sinal digital da repetidora da afiliada da TV Globo na região central do estado, a EPTV Central. O evento reuniu diversas autoridades da cidade e da região e tive o privilégio de ser um dos convidados para testemunhar este marco da TV no interior paulista.

A TV digital é a cara de São Carlos e da região. Uma cidade inovadora como a nossa, que tem universidades das mais importantes do mundo, centros de pesquisa que são reconhecidos internacionalmente e parques tecnológicos, recebe agora de braços abertos a TV digital. Por isso, cumprimentamos o grupo EPTV pela iniciativa.

Quero destacar que a vocação empreendedora da EPTV é uma forma de mostrar o reconhecimento e a importância que a emissora dá às praças de São Carlos, Araraquara e também aos demais locais onde a empresa tem sede, como são os casos de Campinas, Ribeirão Preto e Varginha (MG).


A EPTV é um grupo de mídia que ajuda diariamente a consolidar a democracia na região central e no interior do Estado de São Paulo. Essa nova etapa da TV digital foi um esforço que contou com apoio do presidente Lula e que mudará a história das comunicações no Brasil. A EPTV está saindo na frente mais uma vez.

COMEÇANDO A SEMANA NA INTERSOM FM


Concedi hoje pela manhã entrevista, ao vivo, no programa Intersom Debates, da Rádio Intersom FM, de São Carlos. A tônica da conversa foi política. Muito bom o papo! A Intersom estreou hoje parceria com a Rádio Eldorado (novo jornal para São Carlos e região das 5 às 7 horas, de segunda à sexta) e também com a ESPN Brasil para a transmissão dos jogos da Copa do Mundo. Desde já, meus votos de sucesso à equipe da rádio e em especial ao amigo Juquita, que faz crescer assim ainda mais o radiojornalismo na região central do nosso estado. Parabéns!

NA FESTA DA PADROEIRA DE SANTA EUDÓXIA

As ruas do distrito de Santa Eudóxia ficaram lotadas na Festa da Padroeira ontem à noite (30/05)

Eu e a Ana com o valente batalhão da cozinha da festa

Com Valdir Zambarian, um dos grandes locutores sertanejos da nossa região

Pra fechar a festa, nada melhor que um belo show com a dupla sertaneja João Carlos & Bruno

domingo, 30 de maio de 2010

HOJE É DIA DE AÇÃO COMUNITÁRIA NA CIDADE ARACY

Ana, Pedro Carlos Teixeira de Souza (presidente da ONG Espaço Cidadão) e eu

Estive presente na manhã deste domingo (30) na abertura das atividades da 12ª Ação Comunitária, realizada pela ONG Espaço Cidadão, junto à comunidade da Cidade Aracy, em São Carlos, e que neste ano tem como tema "Copa do Mundo, União pelo Esporte". Milhares de pessoas prestigiam o evento no CAIC, que irá até às 17 horas deste domingo e oferece gratuitamente à população os mais variados serviços, como por exemplo atendimentos jurídico, médico e odontológico; expedição de documentos (CPF e Carteira de Trabalho); corte de cabelo; além de atividades de lazer, sobre a saúde da mulher e culturais (para adultos e crianças). Parabéns aos organizadores e parceiros deste projeto! Pra quem quiser saber mais sobre o trabalho maravilhoso desta ONG, é só conferir no site www.espacocidadao.org.br

sábado, 29 de maio de 2010

LULA DA PAZ, SERRA DA GUERRA


Nos últimos dias pudemos observar comportamentos extremamente opostos entre os dois líderes máximos do PT e do PSDB, agora no que diz respeito à política externa brasileira.

Lula, do alto do seu mundialmente reconhecido perfil de estadista vem trabalhando soluções negociadas para superar o impasse nuclear do Irã. Acredita nosso presidente que é necessário, pela via diplomática e não pela ampliação das sanções, o mundo tomar medidas que contribuam para a não a proliferação de armas nucleares.

E por isso, combinando o jogo antecipadamente com o presidente americano, construiu um acordo Brasil-Turquia-Irã que respeitava integralmente os termos para o enriquecimento do urânio iraniano impostos por Obama. No editorial da Folha de S.Paulo de 28/05, intitulado “As duas faces de Obama”, o jornal assim se manifesta sobre o conteúdo da carta enviada por Obama a Lula, antes da viagem do nosso presidente ao país persa: “O presidente norte-americano expõe, no documento, um modelo de caminho a seguir para a retomada do processo diplomático construtivo e detalha suas expectativas. Nenhum dos pontos mais importantes elencados por Obama deixou de ser contemplado no acordo”.

Só poderosos interesses econômicos explicam porque os EUA roeram a corda depois do êxito alcançado pela missão do nosso presidente. Não seria a primeira vez. A guerra do Iraque, provocada por denúncias infundadas de Bush de que aquele país possuía armas de destruição em massa, não passou de uma farsa montada para conquistar petróleo e lucratividade para a indústria bélica.

Já Serra, do alto do seu reconhecido perfil truculento, ampliava concomitantemente seu currículo de pronunciamentos hostis, desta vez mirando a Bolívia. Disse ele (quarta 26), chutando números (uma de suas especialidades) e sem apresentar provas: “Você acha que a Bolívia iria exportar 90% da cocaína consumida no Brasil sem que o governo de lá fosse cúmplice?”. Se não bastasse, Serra ainda se superou dizendo irritadiço na sexta (28) que “a chancelaria boliviana não vale uma nota de três reais”. Para ficarmos em pronunciamentos recentes do belicoso e preconceituoso pré-candidato tucano, lembremos ainda de suas declarações antidiplomáticas sobre a economia Argentina e da sua desastrosa e obtusa afirmação: “O Mercosul é uma fraude”.

Em contraponto, e seguindo a grandeza diplomática do pensamento lulista, Dilma lamentou as falas de Serra dizendo que elas “mexiam com a soberania do povo boliviano e demonizavam o governo de um país amigo”. Também em contraponto à visão do tucano, a presidenciável petista reforçou a importância do Mercosul: “Provamos que podemos ser protagonistas no contexto mundial, sem nos esquecermos de olhar os nossos vizinhos. Não podemos encará-los com soberba. Esse comportamento imperialista é o que leva à guerra, aos conflitos e ao desprezo”.

Por também pensar assim, sou Lula e Dilma de carteirinha.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

COM O MINISTRO REZENDE NA CONFERÊNCIA NACIONALDE CT&I


Termina nesta sexta-feira (28), em Brasília (DF), a 4ª Conferência Nacional de Ciência, Tecnologia & Inovação (CT&I), promovida pelo Governo Federal através do Ministério da Ciência & Tecnologia. O encontro reuniu nesta semana, na capital federal, pesquisadores, analistas, empresários e representantes da sociedade civil para debater e formular propostas para a consolidação de uma política de Estado em ciência, tecnologia e inovação que tenha como foco principal o desenvolvimento sustentável.

Este é o tema principal da Conferência, o qual comungo. Outros assuntos como as mudanças climáticas, energia, recursos naturais, desigualdades regionais, educação científica de qualidade em todos os níveis, e o uso da ciência e tecnologia para o desenvolvimento social e da saúde devem estar sempre na Agenda Nacional. Nesta quinta-feira os debates giraram em torno da segurança alimentar no contexto da CT&I.

Aproveitei o evento e apresentei ao ministro da Ciência & Tecnologia, Sérgio Rezende (no foto acima, comigo), a reportagem que está nesta semana dando destaque à cidade de São Carlos na edição da revista Carta Capital, intitulada “A capital da inovação”.

Além do MCT, a 4ª Conferência Nacional de CT&I tem como realizadores o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE); o Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I (Consecti); e o Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap).

Paralelamente à Conferência, coordenei a reunião do setorial nacional de CT&I do PT, que tratou do programa de governo da pré-candidata à presidência Dilma Rousseff na área em questão. Em 2002, tive a honra de ter sido o coordenador geral do programa de governo na área de Educação do então candidato Lula.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

SÃO CARLOS BRILHA NA CARTA CAPITAL


A revista Carta Capital que está nas bancas nesta semana traz três páginas com reportagem sobre São Carlos. Intitulada "A Capital da Inovação", a matéria dá amplo destaque à sinergia entre os centros de pesquisas de ponta exitentes na cidade e o setor privado local, gerando centenas de empresas de base tecnológica, que por sua vez trabalham a inovação de forma a alçar nosso município além das fronteiras nacionais. Fui um dos entrevistados pela Carta Capital. Vale à pena conferir!

terça-feira, 25 de maio de 2010

NOS AGITOS DA VIRADA CULTURAL EM SÃO CARLOS

Eu, Lobão e Ana

Eu e a Ana no final da tarde do último domingo pouco antes do grande show do Lobão, em São Carlos, durante a Virada Cultural. Mais de 36 mil pessoas prestigiaram a maratona de eventos culturais na cidade no último final de semana

Com Lobão, num jantar no Empório (domingo à noite), após contagiante show do roqueiro na Virada Cultural Paulista



segunda-feira, 24 de maio de 2010

CEDIN 24 ANOS - A TECNOLOGIA PROJETANDO O NOME DE SÃO CARLOS

Com Emerson Leal (vice-prefeito de São Carlos) e Alagui Marques Pereira (gerente do Cedin) na noite da última sexta

Na última sexta-feira (21), o Centro de Desenvolvimento das Indústrias Nascentes (Cedin), de São Carlos, comemorou 24 anos de fundação. O evento ocorreu no Café Tropical e fui um dos homenageados da noite, exatamente pela reativação do Cedin em 2006, o que gerou novo impulso ao trabalho da incubadora de empresas de base tecnológica. Além do reconhecimento público que muito me honrou,a direção do Cedin realizou a cerimônia de graduação das empresas Fe-Tech Projetos Industriais e N3E Nova Empresa Equipamentos Eletrônicos.

Ter meu trabalho reconhecido pelos empreendedores de uma incubadora tão importante como o Cedin mostra que a diretriz de apoio da prefeitura às áreas de tecnologia, inovação e empreendedorismo, foi a mais acertada. Isso é algo que nos deixa recompensados, pois reativamos algo que estava esquecido. Agora vemos os frutos sendo colhidos e a política que implantamos sendo inclusive ampliada pelo prefeito Oswaldo Barba.

São Carlos era uma cidade que relegava até o ano 2000 ao segundo plano, com raras exceções, suas indústrias de tecnologia e não olhava para aquilo que suas universidades produziam. Não havia sinergia entre as partes. Até então a administração pública não entendia que as universidades são a grande mola propulsora para o desenvolvimento deste município. Como exemplo do descaso com essa nossa vocação, sequer fora o Centro Empresarial de Alta Tecnologia, o Ceat, além do distrito industrial Miguel Abdelnur. Mudamos essa realidade e hoje caminhamos para um terceiro distrito industrial, comprovando que nossa trajetória está intimamente ligada às universidades e a produção de ciência, tecnologia e inovação.


O Cedin é uma incubadora criada para atuar junto a empresas de tecnologia nascentes, oferecendo serviços de apoio administrativo, orientação jurídica, comercial, financeira e assessoria empresarial às empresas residentes e associadas ao Programa de Incubadora de Empresas de São Carlos. Sua atuação tem reconhecimento dos novos empreendedores que contam com infra-estrutura e ações de gestão empresarial, tecnologia, mercado e comunicação, além de consultorias e exposições em feiras. Hoje, o Cedin atende 32 empresas nascentes, que no ano passado faturaram mais de R$ 10 milhões e geraram 210 postos de trabalho.


A incubadora conta ainda com a parceria do Instituto Inova, gestor do Parque Eco-Tecnológico Damha, de São Carlos que, desde 2008 é responsável pela gestão de projetos e pela oferta de consultorias especializadas em empreendedorismo de base tecnológica. Além do Inova, o Cedin mantém parcerias com a Prefeitura Municipal de São Carlos, o Sebrae/SP e o Governo Estadual. Com infra-estrutura mantida pela Prefeitura Municipal, as empresas ligadas ao Cedin movimentam recursos investidos por agências governamentais de fomento, como a Fapesp, o CNPq e a Finep, tendo vários projetos aprovados por este programas.

domingo, 23 de maio de 2010

COM MERCADANTE EM PORTO FERREIRA

Estive junto com o senador Aloízio Mercadante (PT-SP) durante um café da manhã realizado ontem de manhã (22) na vizinha cidade de Porto Ferreira, quando estiveram reunidos com prefeitos e lideranças do Partido dos Trabalhadores da região central do estado de SP. Membros e dirigentes de outros partidos aliados do Governo Federal também marcaram presença no encontro.

Acompanhei o senador Mercadante, que é pré-candidato ao governo de SP, também durante visitas a várias cidades do interior neste mês de maio, entre elas Limeira (dia 8) e Jaú (20). Em todas as cidades houve manifestações contrárias em relação ao grupo político que governa o estado de São Paulo há mais de duas décadas, sendo 16 anos só de administração do PSDB, e que levaram “a locomotiva da nação” a uma grande estagnação geral, além de retrocessos em várias áreas importantes como a Educação e Segurança Pública. Os salários dos professores e policiais em SP estão entre os piores entre todos os estados do país. Nossos jovens chegam ao final do Ensino Médio com o nível dos estudantes do último ano do Ensino Fundamental. Os índices ruins na área de segurança ganham as manchetes dos jornais quase todos os dias e de forma negativa. Em nossa região temos, por exemplo, existe uma defasagem de 380 PM’s, segundo matéria da Folha de S.Paulo na última semana.

Na gestão do ex-governador Serra (2007/2009), o governo estadual deixou de investir R$ 200 milhões na área de Educação e outros R$ 160 milhões em Segurança Pública. Estas foram os enormes diferenças respectivas
entre os investimentos previstos e os realizados pelos tucanos. Na contramão, o PSDB em São Paulo ampliou em 620% o investimento em propaganda, saindo de R$ 41 milhões em 2006 na gestão Lembo para incríveis R$ 293 milhões na gestão Serra. Esta diferença de prioridades é a "marca" da gestão do PSDB em nosso estado. Os decadentes indicadores sociais estão aí como resultado dessa lambança. Os paulistas precisam de uma ruptura urgente, senão de locomotiva passaremos a vagão.

O senador Mercadante tem destacado em seus discursos que já é hora de SP experimentar o que os outros estados, em sua maioria, já conhecem bem: o jeito do PT governar. Segundo ele, “o que distingue o Governo Lula é que a partir dele houve uma política consistente, sustentada e deliberada de combate a pobreza e às desigualdades. Há um novo processo de desenvolvimento em curso. A população sabe disso. A grande diferença do Governo Lula é que ele faz a diferença na vida das pessoas. E essa diferença faz toda a
diferença”.

Mercadante foi muito duro também neste sábado na crítica ao alto valor cobrado nas dezenas de praças de pedágio espalhadas por todas as rodovias estaduais de SP. Ele está viajando de carro por todo o nosso estado e considera distorcido e abusivo os valores praticados há um bom tempo. Para nosso senador, muitos trabalhadores são lesados todos os dias. Ele citou o exemplo dos caminhoneiros do pólo ceramista de Porto Ferreira. Para Mercadante, quem trafega por uma rodovia estadual paulista paga sete vezes mais, em média, o valor do pedágio cobrado numa rodovia federal.

De Porto Ferreira, o senador Mercadante seguiu para um compromisso na cidade de Mogi-Guaçú, enquanto me dirigi para Ribeirão Preto. Lá, houve reunião no início da tarde de ontem com os integrantes do coletivo da macrorregião Ribeirão do PT, que congrega 83 municípios do centro-nordeste paulista. Entre os itens da pauta desta reunião estava a apresentação de todos os pré-candidatos a deputados estaduais e federais da regional do partido. Ao final do encontro, saímos com a definição dentro da macro Ribeirão de três pré-candidatos a federal e nove a estadual.

sábado, 22 de maio de 2010

REFORMA POLÍTICA URGENTE

Aquilo que prometia ser uma grande festa da democracia brasileira sofreu um arranhão de última hora e ainda carece de duas definições vitais pelo STF. Trata-se do projeto “Ficha Limpa”, que será sancionado pelo presidente Lula para entrar em vigor e trará mudanças fundamentais para as eleições brasileiras.

Aprovado na Câmara dos Deputados no dia 11 de maio, o projeto avançou de forma unânime no Senado Federal na última quarta-feira (19), não sem antes sofrer uma pequena mas suspeita alteração no tempo verbal. A partir da emenda do senador Francisco Dornelles (PP-RJ) houve alteração nas disposições sobre os tipos de crime que continham a expressão “os que tenham sido”, substituída por “os que forem”. Essa sutileza pode vir a postergar a faxina ética pretendida na proposta avalizada pelas mais de quatro milhões de assinaturas populares que respaldam hoje o projeto. Juristas, parlamentares e especialistas se dividem e alguns entendem que neste novo contexto só podem ser considerados políticos “fichas sujas” aqueles que venham a ser condenados por órgãos colegiados daqui para frente. Particularmente, isso me frustrou muito porque entendo serem urgentes medidas que desnudem a vida pregressa de qualquer postulante a cargo público. Seguindo avante, caberá também aos TSE esclarecer se a inelegibilidade poderá ser aplicada já para as eleições de outubro próximo ou se serão parâmetro só para 2012.

Um alento foram as declarações dos presidentes de dois dos principais partidos do país – José Eduardo Dutra (PT) e Sérgio Guerra (PSDB) -, afirmando dias atrás que mesmo que o “Ficha Limpa” não possa valer para o pleito deste ano, as duas siglas se comprometem a aplicá-lo internamente como critério de seleção de seus candidatos.

Avançamos um pouco, mas a ética e a moralidade só terão dias melhores no Brasil quando fizermos a tão sonhada Reforma Eleitoral, por meio de uma Constituinte independente e exclusiva. A nação espera novas leis que promovam o voto distrital misto e o financiamento público das campanhas, o que ajudará neste último item a combater o Caixa 2 e à corrupção dele decorrente. De qualquer forma, a luta pelo projeto Ficha Limpa contribuiu para que a discussão da vida pregressa da classe política fosse colocada na agenda nacional. Espero que, caso a decisão do Supremo seja pela postergação da vigência da nova lei, os eleitores estejam atentos às biografias integrais dos candidatos.

terça-feira, 18 de maio de 2010

FICHA LIMPA HOJE E SEMPRE

A imprensa divulgou recentemente que nada menos nada mais do que 40% dos atuais 513 deputados federais poderiam figurar na lista daqueles que teriam suas candidaturas não deferidas, caso o projeto de lei “Ficha Limpa” passe a vigorar já nas eleições de outubro próximo. Isso representa 203 parlamentares. No Senado, essa “peneira” limaria 38% do quadro presente na Casa. Segundo a ONG Transparência Brasil, essa “bancada” seria suficiente para impedir o avanço do projeto no Congresso Nacional.

Mas mesmo com atrasos engendrados “providencialmente” por parte dos fichas sujas, a Câmara dos Deputados aprovou no último dia 11 o projeto. Com texto-base do relator, o deputado José Eduardo Cardozo (PT-SP), o “Ficha Limpa” foi aprovado, tendo tido todos os destaques que o desfigurariam sendo derrubados um a um. Devido à habilidade política do deputado Zé Eduardo, uma reserva moral dentro do Congresso, o projeto passou na Câmara e seguiu para o Senado, onde está nas mãos do relator Demóstenes Torres (DEM/GO). José Sarney (PMDB/AP) afirmou que irá agilizar o trâmite do “Ficha Limpa” para que, aprovado, siga para sanção do presidente Lula.

Mais do que uma faxina em Brasília, o projeto, que tem hoje quatro milhões de assinaturas populares (eram 1,6 milhão quando da sua proposição em setembro de 2009), significa um avanço para toda a sociedade brasileira na obstrução legal daquelas candidaturas de pessoas condenadas por órgãos colegiados (mais de um juiz) em virtude de crimes graves como racismo, homicídio, estupro, tráfico de drogas, crimes ambientais e desvio de verbas públicas entre outros. Essas pessoas devem ser preventivamente afastadas das eleições até que resolvam seus problemas com a Justiça Criminal. O projeto prevê também a inelegibilidade de parlamentares que renunciaram ao cargo para evitar abertura de processo por quebra de decoro ou por desrespeito à Constituição Federal, fugindo assim de possíveis punições, assim como a de pessoas condenadas em representações por compra de votos ou uso eleitoral da máquina administrativa.

Se aprovada em tempo para vigorar em 2010, essa limpeza ética e moral no quadro dos políticos brasileiros teria forte impacto nas eleições proporcionais (deputados) em todo o país. Com a ampliação do acesso às informações, principalmente via internet, qualquer cidadão pode, como exemplo e por conta própria, consultar se determinado candidato tem ou não “Ficha Limpa” dentro dos parâmetros propostos no projeto. Essa ferramenta é uma verdadeira utilidade cidadã e democrática. Através dela nenhum eleitor poderá argumentar que foi ludibriado pela escassez de informações sobre a vida pregressa de qualquer candidato. É importante que, independente do caminhar do projeto em Brasília, tenhamos a missão de passar à frente essa idéia originada no Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (www.mcce.org.br) e que eu apoio incondicionalmente desde o seu surgimento. Estejamos sempre vigilantes!

sábado, 15 de maio de 2010

CORPO ESTRANHO


Formar profissionais com qualidade, concomitante à implantação do próprio curso, é como trocar a roda do carro com ele em movimento. Exige coragem, determinação, vontade política, ousadia, recursos e negociação, muita negociação. Mas acima de tudo UNIÃO e jamais RESIGNAÇÃO.


Fui o primeiro professor contratado para implantar o curso de Engenharia Química da UFSCar. Quando aqui cheguei, em dezembro de 1977, 30 alunos da primeira turma, aprovados no vestibular do meio daquele ano, aguardavam com natural expectativa e ansiedade. Afinal, praticamente tudo estava por ser construído em uma universidade com apenas sete anos de vida: montagem de um projeto pedagógico inovador e do seu currículo escolar, contratação de professores e técnicos, aquisição de acervo, projeto e construção de laboratórios e organização dos estágios profissionais. Os obstáculos eram muitos e pareciam insuperáveis. Contudo, anos depois, os recém-formados engenheiros químicos da UFSCar estavam todos bem empregados num curso que, aperfeiçoando-se a cada ano, tornou-se referência nacional. Exemplo isolado? É claro que não. Cada curso novo criado tem sua própria história de contratempos e dificuldades. Mas, ao fim e ao cabo, em se tratando da UFSCar, o êxito é inexorável. Por isso ela é uma das dez melhores universidades do Brasil.

Assim foi, assim é e assim será também com a Medicina. Por isso, é preciso enaltecer a mobilização dos alunos e as ações do corpo docente e da Reitoria para superar o problema do internato. A despeito de equívocos, deslizes e divergências próprias de um momento como este, a comunidade interna, cada segmento a seu modo e fazendo jus à tradição democrática da UFSCar, está trabalhando para que o indispensável internato seja resolvido com brevidade, o projeto pedagógico e inovador consolidado e a qualidade da formação das primeiras turmas garantida.

Mas há uma peculiaridade neste caso que não pode ser ignorada: o OPORTUNISMO. Não sou médico, mas sei que quando um organismo se encontra com baixa resistência, bactérias e vírus deitam e rolam, complicando e atrasando a recuperação do paciente.

Alguns deles fazem parte do próprio meio de cultura universitário. Estão sempre prontos a atacar para tirar proveito próprio e, geralmente, se dão mal. Os oportunistas mais perigosos são os exógenos, porque têm por objetivo destruir o corpo em que se alojam.

Todos sabemos que, desde o início, a criação do Hospital-Escola e do curso de medicina da UFSCar têm enfrentado inimigos ferrenhos: alguns médicos da cidade que querem garantir reserva de mercado, outros que tentam conter o avanço da saúde pública e lideranças partidárias oposicionistas que operam subterraneamente para sabotar o projeto, enquanto, com a maior cara-de-pau, se solidarizam publicamente com os estudantes. Quanto cinismo e desfaçatez.

Mas os alunos não são bobos, não se deixam instrumentalizar e lutam com bravura pelos seus direitos sabendo quem são seus verdadeiros aliados.

Para os corpos estranhos, nem doses cavalares de antibióticos e antivirais serão capazes de debelar suas enfermidades morais.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

CÂMARA DE SÃO CARLOS APROVA O “VIVA O BROA”


Gostaria de dizer que foi fundamental a aprovação do protocolo de intenções do consórcio intermunicipal pela Câmara Municipal de São Carlos na sessão legislativa realizada no último dia 11 de março (terça-feira). O fato revela que os vereadores da cidade entendem perfeitamente a importância de uma ação deste tipo para recuperar um patrimônio de nossa região que é o Broa.

A aprovação do projeto é uma mostra de maturidade do atual grupo de parlamentares do município, pois o mesmo ocorreu por unanimidade. Esse é o equilíbrio político que esperamos da Câmara Municipal, por isso reiteramos nossos elogios aos vereadores que proporcionaram este grande passo para o avanço do projeto.

O consórcio foi ratificado no último mês de janeiro, quando os prefeitos Oswaldo Barba (São Carlos), Omar de Oliveira Leite (Itirapina) e Antônio Benedito Salla (Brotas) assinaram oficialmente a formação do consórcio intermunicipal “Viva o Broa”. Só em 2009, a movimentação em torno do projeto resultou na liberação de cerca de R$ 1,5 milhão do Governo Federal, sendo R$ 1 milhão no mês de agosto via Ministério do Turismo (para obras de saneamento básico junto à orla do balneário no município de Itirapina) e R$ 450 mil em dezembro, pelo Ministério da Ciência & Tecnologia (MCT), para um sub-programa que prevê, entre outras ações, a formação de educadores ambientais e atividades de pesquisa e monitoramento na represa.

As atividades em torno do "Viva o Broa" tiveram início em abril de 2009 numa reunião com moradores do Broa, que relataram diversos problemas de ordem ambiental, segurança e fundiária entre outros. Três grandes ações a serem implementadas na represa do Broa balizam o projeto sob a tutela de renomados especialistas: Saneamento (José Roberto de Campus – Departamento de Hidráulica e Saneamento da USP São Carlos), Desenvolvimento Ambiental (José Galízia Tundisi – Instituto Internacional de Ecologia) e Desenvolvimento e Turismo Regional (Jorge Silveira Duarte - Senac/SP).


Somente ações integradas poderão revitalizar o Broa, de modo que a represa e seu entorno possam usufruir de um verdadeiro desenvolvimento sustentável. Assim, ganham todos os frequentadores e moradores, além da região central paulista passar a ser uma referência ainda mais forte na área do turismo, lazer e esporte. Tenho muita honra em ser o coordenador geral desse projeto!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

FICHA LIMPA JÁ

Quero destacar a importância da aprovação do texto-base do projeto Ficha Limpa, que ocorreu na noite de ontem (11) na Câmara dos Deputados, em Brasília. Classifico o fato como um passo
importantíssimo para uma mudança positiva e qualitativa no quadro político brasileiro. Se o Senado aprovar agora nos próximos dias o texto sem modificá-lo, para que possa valer já em 2010, será uma grande avanço para a democracia brasileira.

Tivemos uma atuação decisiva nesse processo do secretário-geral do PT e deputado federal José Eduardo Cardozo (SP), relator do projeto Ficha Limpa. O meu amigo e deputado Zé Eduardo honra o nosso parlamento com sua defesa do texto aprovado na noite passada. Ele é uma reserva moral no atual Congresso Nacional. Sua ação foi decisiva para que os destaques propostos por outros parlamentares e que desfigurariam a proposta anterior fossem, um a um, derrubados,
preservando o texto inicial.

Na semana passada, a imprensa divulgou que 40% dos atuais 513 deputados federais 38% dos senadores poderiam figurar na lista daqueles que teriam suas candidaturas não deferidas, caso o projeto de lei Ficha Limpa passasse a vigorar já nas eleições 2010.

O projeto, que tem hoje 4 milhões de assinaturas populares (eram 1,6 milhão quando da sua proposição em setembro de 2009), significa um avanço para toda a sociedade brasileira na obstrução legal daquelas candidaturas de pessoas condenadas por órgãos colegiados (mais de um juiz) em virtude de crimes graves como racismo, homicídio, estupro, tráfico de drogas e desvio de verbas públicas entre outros.

Tenho orgulho do meu partido porque na segunda-feira passada, um dia antes da aprovação do projeto na Câmara, o nosso presidente nacional, o companheiro José Eduardo Dutra, já havia informado que o PT, independente do resultado da votação, iria seguir o Ficha Limpa em
relação à seleção de seus candidatos já para a eleição deste ano.

O projeto prevê também a inelegibilidade de parlamentares que renunciaram ao cargo para evitar abertura de processo por quebra de decoro ou por desrespeito à Constituição Federal, fugindo assim de possíveis punições, assim como a de pessoas condenadas em representações
por compra de votos ou uso eleitoral da máquina administrativa.

Com a ampliação do acesso às informações, principalmente via internet, qualquer cidadão pode hoje, como exemplo e por conta própria, consultar se determinado candidato tem ou não Ficha Limpa dentro dos parâmetros propostos no projeto. Se for aprovado no Senado, o projeto segue para ser sancionado pelo presidente Lula.